PUNHO DE FERRO | CRÍTICA

Series e TV| Visitas: : 761

PUNHO DE FERRO, a nova série da parceria Marvel/Netflix, estreou no dia 17 de março já sob pesadas críticas (a maioria de cunho político-ideológico, diga-se de passagem), mas mesmo assim prometia uma boa dose de entretenimento aos fãs do personagem, visto que a Netflix só havia liberado os seis primeiros episódios da série para os críticos. Contudo, para uma série com 13 episódios, assistir aos primeiros 6 dá uma boa ideia…

De fato, a maioria dos que criticaram Punho de Ferro e deram baixas notas foram os mesmos que disseram que Jessica Jones foi “uma série incrível” (fail). Entretanto, Punho de Ferro realmente deixa a desejar, e nesse texto vou elucidar alguns dos principais motivos.

O texto a seguir não contém spoilers significativos.

Punho de Ferro - Critica - Cast - LEPOP

 

NOSSA! VOCÊ ESTÁ VIVO? EU FUI AO SEU FUNERAL QUINZE ANOS ATRÁS. BOM, JÁ QUE VOCÊ ESTÁ VIVO, BORA LÁ COMER ALGUMA COISA.

Tá, a frase acima é uma hipérbole, mas de fato as pessoas aceitam a o retorno de Danny Rand com uma facilidade surpreendente, como se aparecer vivo (após dado como morto por 15 anos) fosse uma das coisas mais naturais do mundo.

Em Punho de Ferro, o ator Finn Jones interpreta o personagem principal, Danny Rand, que, na adolescência, é vítima de um acidente de avião, o qual cai nas montanhas do Himalaia matando a seus pais e demais tripulantes. Rand então é resgatado por monges que o acolhem e treinam na arte do kung-fu na misteriosa cidade de Kun-Lun. Lá, Rand ganha o poder do Punho de Ferro e recebe a missão de se tornar o protetor de Kun-Lun, inimigo declarado do Tentáculo, entretanto, ao receber o poder do guardião da cidade do kung-fu, Rand resolve voltar para Nova York, rever velhos amigos e contar a todos que esteve vivo esse tempo todo.

Ao decorrer dos 13 episódios de Punho de Ferro, conforme Danny Rand vai reencontrando pessoas que fizeram parte do seu passado, chega a admirar a facilidade com a qual certos personagens simplesmente compram a ideia de que aquele indivíduo maltrapilho é um conhecido de longa data – e não alguém tentando se passar pelo dito cujo. E o pior, com os piores argumentos possíveis pra provar quem é de verdade.

Se você pensou algo como “Tá, mas a gente pode até relevar isso porque a série faz link com os filmes e tem um monte de coisas estranhas acontecendo, especialmente em Nova York, onde o Universo Marvel é mais focado. De repente as pessoas podem estar se habituando a estranhezas“, então é bom colocarmos as coisas de forma clara.

Digamos que você seja um desses moradores da área de Nova York no Universo Marvel e você encontra um amigo, ou amiga e essa pessoa solta uma frase sobre o que presenciou no dia anterior. Abaixo, dois exemplos:

  1. ) “Ontem eu vi um cara loiro, alto, com uma armadura, voando pela cidade e soltando raios de um martelo“.
  2. ) “Conheci um cara ontem que disse que quinze anos atrás tava com os pais sobrevoando o Himalaia, o avião caiu, ele foi o único sobrevivente no meio das montanhas; foi resgatados por uns monges que levaram ele pra uma cidade mística onde todos lutam Kung-fu, e que pra chegar nessa cidade você precisa passar por um portal dimensional que é protegido por uns guerreiros marciais. E o portal só se abre de tempos em tempos“.

Sério, seja uma pessoa honesta consigo mesma e responda qual das duas frases é mais difícil de acreditar. Pois é… Agora imagine as pessoas aceitando a frase “2” numa boa… Eis aí Punho de Ferro.

Punho de Ferro - Critica - Tumulo - LEPOP

 

VOCÊ FOI TREINADO PARA SER O INIMIGO DECLARADO DE UMA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA MILENAR QUE ESTÁ INFILTRADA NAS MAIS DIVERSAS ÁREAS, NOS MAIS DIVERSOS NÍVEIS, NOS MAIS DIVERSOS LOCAIS DO MUNDO. MAS NÃO SE PREOCUPE VOCÊ PODE SAIR POR AÍ CONFIANDO NAS PESSOAS SEM O MENOR PROBLEMA.

O cenário é o seguinte:

Você passa 15 anos da sua vida sob um árduo treinamento diário, do raiar do sol ao cair da noite, se aperfeiçoando na arte do kung-fu, disputando com inúmeros outros guerreiros o poder que vem com o título de “Punho de Ferro“, sabendo que vai enfrentar inimigos malignos com recursos incomensuráveis que lhes confere acesso irrestrito a basicamente tudo. Estão em todas as posições hierárquicas das mais distintas áreas de atuação, em todas as classes sociais, espalhados pelo globo e dispostos a dar a vida pelo triunfo dessa organização.

Sob essa ótica, como é possível que você saia por aí confiando cegamente nas pessoas a ponto de se surpreender quando descobre que alguém do seu ciclo de convívio é membro do Tentáculo?

Em Punho de Ferro, Danny Rand não parece ser alguém que passou 15 pesados anos se dedicando a enfrentar uma das maiores e mais perigosas organizações criminosas do Universo Marvel. A prova disso? Há um episódio onde Rand afirma enfático, convicto “Eu sou o Punho de Ferro, inimigo declarado do Tentáculo” e alguns episódios mais adiante diz “Eu achei que o Tentáculo fosse uma lenda, um mito“.

Um dos grande problema dos roteiristas da série é confundir “pureza de coração” com “ingenuidade”.

Punho de Ferro - Critica - Makoto - LEPOP

 

SEU KUNG-FU NÃO É LÁ ESSAS COISAS, PEQUENO GAFANHOTO.

Certo, esse é um ponto bastante importante de mencionar, até porque isso deixou os fãs muito decepcionados, porém não é culpa apenas de Jones. Então vamos por partes.

Punho de Ferro é um dos maiores nomes de todo Universo Marvel quando o assunto é artes marciais. Um dos maiores lutadores da Marvel Comics, junto a nomes como Mestre do Kung-Fu, Elektra, Demolidor, Wolverine, Mercenário, Colleen Wing, dentre outros. Acontece que na série da Netflix, Finn Jones realmente deixa a desejar nas cenas de luta. E deixa muito a desejar. É claramente perceptível a dificuldade do ator em lidar com cenas do tipo, com coreografias do tipo – e posso ser enfático nesse ponto, pois já fui praticante de Wing Chun por um período de quatro anos.

Cenas de ação, coreografias de luta, são algo realmente complicado de assimilar e apresentar. Requerem um nível de interatividade e confiança no(s) parceiro(s) de cena que é algo fora do comum. Além, é claro, de um trabalho de extrema sincronia entre o Coreógrafo de Lutas (Fight Arranger), o Coordenador de Dublês (Stunt Coordinator) e o Diretor, quem dará a palavra final se a cena ficou boa ou não. É trabalho desses três profissionais garantir que o ator ou a atriz consiga agir de forma natural numa cena de ação, que consiga ser capaz de reproduzir todos os movimentos propostos na composição da cena. E é a palavra do Diretor que vale como martelo pra decidir se a cena está boa, se precisa ser alterada, se precisa de mais ou menos tempo de duração, se os atores estão agindo de forma adequada…

Finn Jones, de fato, não é um dos atores com maior controle corporal para encarar cenas de luta. Especialmente de algo tão específico como kung-fu, mas uma coisa que não se pode dizer é que ele não é um ator esforçado, porque embora as cenas de luta em que ele atua (e não seu dublê, que é excelente, diga-se de passagem) não sejam boas, você percebe que ele está realmente tentando fazer seu melhor.

No episódio dessa semana do LEPOPCAST, Personagens ‘JB’, nós comentamos o quanto os filmes de ação atuais mudaram completamente após o lançamento de A Identidade de Bourne, o quanto esses personagens começaram a ser mais “porradeiros“. E essa tem sido uma missão cada vez mais árdua porque cada vez mais e mais atores querem fazer suas cenas de luta. Sabendo disso, chega a ser impossível acreditar que o ator Finn Jones fosse se conformar em apresentar cenas de luta feitas de qualquer jeito. Ele muito provavelmente teve aval da direção da série quanto às suas atuações marciais.

Vale salientar que Jones não é o único com coreografias ruins em cenas de ação. Isso se estende a todos os atores na série, o que é bem triste de se ver em se tratar de uma trama que aborda tantos lutadores memoráveis do Universo Marvel.

Punho de Ferro - Critica - kung-fu 2 - LEPOP

 

CORTA PRA MIM

Problemas de edição têm sido cada vez mais comuns não só nas séries como nos cinemas e Punho de Ferro não escapa desses problemas.

Há diversos momentos em que fica claro que falta continuidade de algumas cenas. Por várias e várias vezes o expectador se pega questionando “Ué! Mas de onde veio isso?“, “De onde ela apareceu? Tava seguindo ele?“, “Não tinha algo antes disso?“, “Não tinha algo depois disso?“, “Por que essa cena acaba assim?“.

Parece que os executivos de Punho de Ferro não aprovaram os primeiros cortes da série e quiseram algumas alterações. O problema dessas alterações, o problema de quando você mexe muito nos cortes de uma filmagem é que eventualmente isso imiscui no desenrolar da história e concomitantemente em como os espectadores vão reagir a essas alterações. Muitas vezes isso pode inclusive mudar completamente o sentido de uma frase, de uma cena, de um desfecho.

Infelizmente, o corpo de executivos envolvidos na produção de Punho de Ferro parece não dar tanta atenção para este detalhe crucial.

Punho de Ferro - Critica - Filmagem - LEPOP

 

VEREDITO

Punho de Ferro é uma série com sérios problemas além dos citados acima, que fiz questão de discorrer de forma mais detalhada, pois julgo serem pontos-chave da trama. Ainda há problemas de edição, a trilha sonora não casa com as cenas; das séries da Marvel na Netflix essa é a que tem a abertura menos interessante, não há cenas impactantes a não ser uma (sim, UMA) basicamente no final da temporada, há uma infinidade de clichês mal usados, simplesmente jogados na tela, sem sentido, apenas preenchendo espaço de minutagem… Sem falar nos vilões, que são realmente ruins, mesmo com David Wenham dando show de atuação, mas nem só de atuação se faz um vilão. É preciso ter o personagem muito bem construído no roteiro, o que não foi o caso.

Logo que assisti ao sexto episódio da série parei para uma reflexão e baseado nos mesmos seis episódios que outros críticos tiveram acesso, percebi que sim, a série realmente não era lá essas coisas, mas não era a obra execrável que estavam pintando por aí. A trama consegue ser envolvente em alguns pontos, apresenta um bom ritmo, as atuações são muito boas (exceto em cenas de luta), os diálogos apresentam boa fluidez, e por com conta disso, baseado nos seis primeiros episódios, tive uma melhor aceitação da série do que demais críticos. Porém, no decorrer da história a coisa vai decaindo, decaindo… É bem verdade que há certos pontos altos em que te traz um momento de esperança de ver o enredo melhorar e a temporada acabar num ápice, infelizmente isso não acontece. Esses picos são poucos e apenas em certos instantes dessa primeira temporada. Infelizmente.

Resta-nos aguardar pelo que virá em Os Defensores.

 

Dar nota para Punho de Ferro foi algo realmente difícil, então deixe-me explicar meu ponto:

As atuações são realmente muito boas, entretanto os personagens foram mal construídos, mal explorados no roteiro e mal dirigidos ao longo da série. Isso é realmente triste, por ver um elenco tão bom com tanto potencial em apresentar algo que poderia ter sido memorável, mas que infelizmente não teve seu potencial verdadeiro exibido durante essa primeira temporada. A prova disso está nos poucos pontos altos que a série apresenta, mostrando que um pouco mais de empenho de roteiristas, coreógrafos, editores e diretores resultaria em algo que pudesse chegar ao mesmo nível de Demolidor – ou até superar.

É pensando nisso que Punho de Ferro leva um REGULAR e não um RUIM.

Mas e você, leitor(a) do LE|POP? Qual seu veredito sobre Punho de Ferro? Deixe aí nos comentários.

 

Punho de Ferro - Critica - Danny Rand - LEPOP

 

FICHA TÉCNICA

Título Original: Iron Fist
Lançamento: Março de 2017

Diretores: John Dahl, Farren Blackburn, Uta Briesewitz, Deborah Chow, Andy Goddard, Peter Hoar, RZA, Miguel Sapochnik, Tom Shankland, Stephen Surjik, Kevin Tancharoen, Jet Wilkinson.

Roteiristas: Scott Buck, Gil Kane, Roy Thomas, Dwain Worrell, Tamara Becher, Pat Charles, Quinton Peeples, Scott Reynolds, Ian Stokes, Cristine Chambers.

PUNHO DE FERRO é uma criação de Roy Thomas e Gil Kane.

Elenco: Finn Jones, Jessica Henwick, Jessica Stroup, Tom Pelphrey, David Wenham, Wai Ching Ho, Barrett Doss, Rosario Dawson, Ramon Rodriguez, Sacha Dhawan, Clifton Davis, Marquis Rodriguez, Ramon Fernandez, David Furr, Alex Wyse, Toby Nichols, John Sanders, Elise Santora, Carrie-Anne Moss, Olek Krupa, Henry Yuk, Murray Bartlett, Esau Pritchett, Shirine Babb, Jeanna de Waal, Victoria Haynes.

Trailer:

Como sempre enfatizamos: No final das contas, indiferente de críticas e de críticos, o que realmente importa é se VOCÊ gostou ou não do filme.

Gostou da crítica? Então compartilhe com seus amigos e não deixe de se inscrever em nosso canal do YouTube, curtir nossa página no Facebook, seguir a gente no Twitter. E, claro, deixar aquele joinha e comentar.

Aproveite também pra ler outras das nossas críticas.

Compartilhe:
  • Olá LLEO, beleza? Bom, primeiramente é um prazer finalmente conhecer o seu site. Descobri tanto quanto o podcast através do grupo do ComadreCast do qual também faço parte assim como alguns membros da minha equipe, do site Leituraverso. Enfim, indo diretamente ao assunto devo dizer que concordo contigo nos pontos apresentados e acho que o sua crítica ficou bem completa. Punho de Ferro não é ruim como todos tem pintado por ai e, assim como você disse, as atuações salvam momentos da série. Já em relação as cenas de lutas que são fracas, o maior problema disso está no fato de que existem poucas dessas cenas e como muitas delas (a grande maioria) não empolgam pela má coreografia fica difícil mesmo curtir essa parte. O mais grave é que se trata de uma série cujo protagonista se define por ser um artista marcial. Ou seja, não é apenas mais um vigilante urbano.

    É o que penso. Mais uma vez parabéns pelo texto.
    Abraço

    • LLeo Favaretto

      Fala aí, Marcão!
      Seja bem vindo ao LE|POP, brother.
      Muito obrigado pelo comentário.

      Cara… Você foi bem direto ao ponto na questão das lutas. Elas realmente são poucas – isso quando não aparecem lutas desnecessárias como aquela no Tentáculo entre o Danny e o aluno da Colleen – tá, aquilo não chega nem a ser uma luta, mas foi mais uma cena que não tinha necessidade de acontecer. Parece que foi bolada de última hora só pra preencher lacuna.

      Foi realmente triste ver uma série de um dos maiores lutadores da Marvel com coreografias ruins desse jeito. E cara, que cena deprimente aquela dele apanhando quando vai buscar o Raio-X do braço. Pô! É o Punho de Ferro! Como que o cara sai apanhando de qualquer mané assim?

      Muito obrigado pelo comentário. É sempre bem vindo por aqui. Eu acompanho o Leituraverso também. É muito bom.