CRÍTICA | PIRATAS DO CARIBE: A VINGANÇA DE SALAZAR

Cinema| Visitas: : 742

E aqui estamos nós novamente, dessa vez para analisar o filme Piratas do Caribe 5: A Vingança de Salazar.

Piratas do Caribe A Vingança de Salazar - Poster - lepop

O longa elenca uma história já padrão na saga, mas que se mostra efetiva seja em entreter os fãs mais antigos ou animando as crianças que acompanham o carisma de Johnny Depp. É um filme que no seu propósito de arrancar risos e contar uma história fantástica, funciona muito bem, afinal era isso que o público esperava; com memoráveis cenas de ação e humor, os pecados da produção se resumem a erros na sequência da trama, tornando tudo que era necessário para que a aventura seguisse em frente em um gigantesco e mal-feito “plot convenient”.

Jack Sparrow Falido - Piratas do Caribe a Vingança de Salazar - lepop

Realmente falido…

O filme começa com um Jack Sparrow “falido”, sem a mesma glória de filmes anteriores, e com certos temores quanto ao seu futuro. Durante o desenrolar da trama somos apresentados de forma um pouco forçada ao novo casal (que seguem a mesma fórmula de Will Turner Elizabeth Swann, casal já “clássico” da série), o filho de TurnerHenry Turner (Brenton Thwaites) e a bela (e pouco aproveitada considerando seu talento de atuação) Carina Smyth (Kaya Scodelario), uma jovem astrônoma que busca suas origens, assim como seu par almeja libertar o pai da “maldição do Holandês”.

Henry e Carina - Piratas do Caribe a Vingança de Salazar - lepop

Carina Smyth (Kaya Scodelario) e Henry (Brenton Thwaites)

Com uma engraçada cena de abertura, demonstrando o “método pirata” de se roubar um banco, logo acreditamos que o humor fora renovado na saga Piratas do Caribe, e apesar de existir um humor intrínseco durante toda a construção do roteiro, várias piadas que insistem em se repetir já perderam pouco a pouco a graça de outrora.

Em contrapartida à repetição já chata de alguns trocadilhos e sátiras, algo que nunca deixará de acompanhar a série, e tampouco será enjoativo é a trilha sonora que demarca os longas. Apesar de envolver músicas novas, ainda assim não tivemos algo tão marcante quanto “He’s a Pirate!” ou “Hoist the Colours”, porém mesmo as repetições da música tema (com modificações no tom e na velocidade em que é reproduzida) causam leves arrepios quando escutadas.

Salazar - Piratas do Caribe a Vingança de Salazar - lepop

Capitán Salazar (Javier Barden)

O forte do filme ainda se mantém no carisma de Depp, mas a ótima surpresa foi a atuação de Javier Bardem como Capitão Salazar, um vilão que com certeza foi o mais bem construído dentro desse universo até o momento, e que teve seu tempo de introdução, desenvolvimento e fim bem repartidos durante o filme, e de forma bem condizente com o que se espera dentro da narrativa.

Enfim, o grande “erro” do filme foi não acatar aos pedidos da “grande crítica” que clama ultimamente por filmes mais profundos e factíveis, com tramas bem desenvolvidas e personagens convincentes. Entretanto, a Disney continua a provar que mesmo com fórmulas já manjadas de produção em seus trabalhos, a recepção por grande parte dos fãs (quem realmente garante dinheiro à produtora afinal) é sempre muito boa, e enquanto esse humor funcionar e o modelo de história não cansar, veremos muitos filmes nesse estilo.

Capitán Salazar - Piratas do Caribe a Vingança de Salazar - lepop

Tem cena pós crédito viu!

veredito - lepop

Ficha Técnica:

  • Título (Ano): Piratas do Caribe: a Vingança de Salazar (2017).
  • Duração: 2h33m.
  • Tema: Ação e um pouco de Humor.
  • Dirigido por: Joachim RonningEspen Sandberg.
  • Roteiristas: Jeff Nathanson.
  • Elenco: Johnny Depp (Capitão Jack Sparrow); Javier Bardem (Capitán Salazar); Kaya Scodelario (Carina Smyth); Brenton Thwaites (Henry Turner); Geoffrey Rush (Hector Barbossa); Orlando Bloom (Will Turner); Keira Knightley (Elizabeth Swann); Kevin McNally (Joshamee Gibbs); Stephen Graham (Scrum); Martin Klebba (Marty); Golshifteh Farahani (Haifaa Meni); e participação especial de Paul McCartney como tio de Jack Sparrow.
  • Música por: Geoff Zanelli.

Trailer:

Como sempre enfatizamos: No final das contas, indiferente de críticas e de críticos, o que realmente importa é se VOCÊ gostou ou não do filme.

Gostou da crítica? Então compartilhe com seus amigos e não deixe de se inscrever em nosso canal do YouTube, curtir nossa página no Facebook, seguir a gente no Twitter. E, claro, deixar aquele joinha e comentar.

Aproveite também pra ler outras das nossas críticas.

Compartilhe: