BLACK DESERT ONLINE| O QUE ACHAMOS?

Games| Visitas: : 891

É pessoal, hoje vim falar (e dar a cara a tapa) da decepção que Black Desert foi pra mim, e pra algumas outras pessoas (que devem estar ainda mais angustiadas pois já gastaram dinheiro com o jogo afinal) aqui do Brasil.

Primeiramente, para esclarecer possíveis dúvidas, vou elucidar algumas das siglas que podem aparecer no texto: MMORPG (Massively Multiplayer Online Role-Playing Game); BD (Black Desert);PvP (Player versus Player); B2P (Buy to Play); P2P (Pay to Play); P2W (Pay to Win).

Black Desert - lepop

O cenário é realmente lindo, mas é bom ter uma máquina potente pra isso

Agora sobre o game, Black Desert é um MMORPG desenvolvido pela empresa coreana Pearl Abyss, lançado ao mundo a primeira vez em 2015 e recentemente chegando a nós brasileiros.

Logo de cara nos deparamos com um game B2P, mas isso não é um grande problema, pois nos é oferecido um vasto mundo in-game e uma gama bem diversificada de possibilidades para o rumo a trilhar com seu personagem nesse universo novo, além de uma criação de character muito bem feita e detalhista.

game possui uma qualidade gráfica ótima, mas uma nem tão boa “optimização” , o que diversas vezes pode lhe causar dores de cabeça por melhor que seja o seu PC. Além do mais, BD possui uma boa fluidez no seu sistema de combate, que envolve combos e utilização de skills que às vezes são tão bem encaixadas que nem parecem ter sido utilizadas (não temos a impressão de algo “fora do comum” quando apertamos a tecla “1” por exemplo).

Não obstante quanto à suas qualidades Black Desert ainda possui um sistema de mercado, de influência mista (npc & player), muito bem construído e intuitivo (forçando um pouco o sentido da palavra eu diria), que engloba desde a negociação consumada (seja direta entre players, ou intermediada feita pela Casa de Leilões), até a produção e relação de seu personagem com os trabalhadores contratados por você para produzirem as mais diversas riquezas que o jogo dispõe. Passando por problemas e conflitos afim de aumentar sua riqueza, chegamos ao ápice…

O PvP do end game é o momento no qual o jogo realmente brilha, caminhamos do nível 1 até aproximadamente o 50 para finalmente aproveitarmos das batalhas de guildas pelo mapa e por pontos estratégicos, afim de dominar cada vez mais o cenário fantástico de BD. Dá uma olhada em quão frenético isso é:

Mas ao mesmo tempo, é após um bom tempo jogando que você descobre sobre a “mensalidade” que torna algo tão bonito e bom em um jogo não tão barato (afinal, “Regra dos 3B’s” né, só podemos ter 2), e por consequência em um P2P. Não entrarei em detalhes específicos sobre dados in-game, mas resumindo, há uma série de vantagens extremamente necessárias para continuar jogando normalmente, e para conseguir essas vantagens (que seriam, por exemplo, 30% de bônus em experiência ganha, dinheiro adquirido, etc…) temos de adquirir um item pago com dinheiro real… Um pouco triste né?

Agora vai me dizer que é Pay to Win também?!

Depende, até o momento o que o dinheiro pode comprar em itens realmente úteis in-game se resume a algo que aumenta probabilidades de upgrades, ou seja, assim como pode entender o argumento para o fato de considerar P2P, o P2W também pode ser visto somente como uma pequena vantagem que troca dinheiro por “economia de tempo”. A pequena diferença é que no primeiro caso é extremamente necessário pra acompanhar a evolução do game, enquanto no segundo, pode ser visto como um detalhe que pode ajudar, mas não influenciaria tanta se você tivesse um pouco mais de paciência.

Enfim, um veredito?

Bom, se você tem paciência, ou um pouco de dinheiro sobrando, e está disposto a investir isso em diversão em um universo altamente imersivo e muito bem construído, vá em frente, garanto que não irá se arrepender. Porém, se não possui o que eu disse, pense bem se vale a pena a jogatina.

Veredito - Black Desert - lepop

Gostou do review? Então compartilhe com seus amigos e não deixe de se inscrever em nosso canal do YouTube, curtir nossa página no Facebook, seguir a gente no Twitter. E, claro, deixar aquele joinha e comentar.

Compartilhe: