UCHUU KEIJI SHARIVAN NEXT GENERATION | CRÍTICA

Cinema| Visitas: : 133

O detetive espacial Sharivan ou somente Sharivan, foi exibida entre 4 de março de 1983 e 24 de fevereiro de 1984 pela TV Asahi, totalizando 51 episódios. No Brasil, foi transmitida nas tardes da Rede Bandeirantes a partir do dia 8 de outubro de 1990 a 21 de dezembro do mesmo ano, sendo parte do programa TV Criança. Posteriormente foi exibida na Rede Record e na TV Guaíba. Voltou a ser exibido em 1996 pela Rede Record no programa Tarde Criança junto com os outros heróis japoneses. Em 1998, teve uma exibição regional para o RJ durante o meio dia, também na Rede Record.

Na série o protagonista é bem conhecido entre os fãs de Juspion (Jaspion), Hiroshi Watari que além de interpretar Den Iga – Sharivan, interpretou também Boomerman na série do Tarzan Gálatico e foi Spielvan mais conhecido aqui no Brasil como Jaspion 2.

 

 

O que é ser um detetive especial?

Essa é uma pergunta que você só encontrará a resposta se assistir ao filme, para nós aqui significa ser o cara com uma armadura bem fodona que vai resolver todos os problemas do episódio. Deixando de lado estes pormenores, uchuu keiji sharivan next generation traz ação na medida certa e uma trama meio clichê.

É certo dizer que não é só pelo valor que damos ao herói, mas que os filmes que foram lançados nos últimos anos estão cada vez melhores, de fato a Toei vem acertando a mão a cada produção lançada.

sharivan next generation mostrará que ser um detetive espacial requer muito mais do que ser bem treinado, saber lutar e vestir o traje de proteção.

 

 

Mas o que é.… sangue?

Galera, se tem uma coisa que me impressionou no filme foi o fato de haver além de faíscas, sangue. Quem acompanha Tokusatsu sabe que é meio complicado colocar cenas com sangue, até porque a maioria do público que acompanha são crianças, geralmente as séries possuem uma trama bem leve, divertida tudo com o objetivo de prender a atenção dos pequenos. Isso não é à toa, já que a outra parte que tornam as séries lucrativas além da audiência são os brinquedos.

Definitivamente Sharivan next generation saiu um pouco fora disso, e a Toei resolveu inserir cenas com sangue o que torna o filme um pouco mais restrito a um determinado público, além de termos também o uso de drogas e seus efeitos desastrosos. Como disse, o filme talvez seja algo mais direcionado para os fãs das antigas mesmo.

Confesso que ao ver pela primeira vez o personagem principal sendo ferido de uma maneira quase que letal me espantou, não pela cena em si, mas pelo fato daquele sangue sendo derramado, coisa que eu mesmo não me recordo de ter visto algo parecido em tokusatsu.

Em um papo bem divertido com Danilo Modolo do TokuDoc durante a gravação do Lepopcast, descobrimos que cenas deste tipo podem ser bem mais comuns do que imaginávamos. Antes que eu me esqueça, o Lepopcast com o Danilo Modolo vai ao ar em breve!

 

kai Hyuga ferido durante um combate.

 

Gavan Bootleg, de novo?

Ah toei, suas reciclagens são as melhores! E se você pensa que isso não é um costume da empresa, se enganou. Existem outras séries tokusatsus que reutilizaram algumas peças de roupas, partes de armaduras, fantasias de monstros entre outros. Com nosso policial do espaço Estevan me parece que não foi diferente, vocês se lembram do Gavan Bootleg? Pois é, pegaram a armadura do nosso amigo e pintaram de dourado, fizeram alguns retoques e… voilà! Temos um novo policial espacial para nossa alegria.

 

Estevam o Gavan bootleg de Gokaiger vs Gavan.

 

Shaider e Gavan.

Mesmo que rapidamente eles dão o ar da graça, só não se alegrem muito, pois além de Shu Karasuma não estar com seu traje de batalha (New Shaider), a participação destes personagens se resume a algumas poucas cenas. Acredito que poderiam ter melhor aproveitado ambos e dado uma ênfase maior neles, obviamente estamos falando de um filme do Sharivan, mas os outros dois heróis poderiam tranquilamente auxiliá-lo bem mais nas batalhas, na investigação e por aí vai.

 

É sempre uma alegria vê-los juntos!

 

Então, vale a pena assistir?

Sinceramente, sou suspeito em dizer alguma coisa a respeito, até porque sou Fã de carteirinha de tokusatsu ainda mais quando estão envolvidos nisso heróis das antigas.

Se vale a pena ou não assistir, isso vai de cada um. Claro se o camarada que vai assistir não é e nunca foi um fã é quase certeza que vai simplesmente evitar este tipo de filme, apesar do filme manter elementos que interessam ao público mais adulto, o filme mantém boa parte dos elementos que o caracterizam como uma atração infantil e vocês vão perceber isso.

Para os fãs, o filme é um prato cheio, que vai além dos momentos de pura nostalgia e fará você querer mais, buscar mais coisas a respeito, ver outros filmes que já estão por aí. Nós aqui do LEPOP,  já falamos de um crossover bem interessante entre um Metal hero e uma franquia Super Sentai, falamos aqui de Gokaiger vs Gavan.

Para fechar, se você assim como eu é fã e curte bastante tokusatsu, não perca mais tempo e vá assistir Sharivan next generation, porque vale a pena. E se você que não é fã mas quer arriscar, não espere algo no estilo dos filmes da Marvel ou DC, estamos falando de outro tipo de produção, mas que tem um público gigantesco que gosta e faz questão de acompanhar.

 

 

Título original: Uchuu keiji sharivan next generation

Data de lançamento: 10 de Outubro de 2014 (Japão)

Direção: Koichi Sakamoto

Roteiro: Naruhisa Arakawa

Produtora: Toei Company

Elenco: Hiroshi Watari (Den Iga – Sharivan), Riki Miura (kai Hyuga  – Nem Sharivan), Hiroaki Iwanaga (Shu Karasuma – New Shaider), Hanoka Ishibashi (Eleena), Koishiro Nishi (Guyler), Misaki Momose (Sisi), Ryoma Baba (Seigi – Estevan), Shinji Tôdô (Nicholas Gordon), Sho Tomita (Gencer – GuardBeast), Yabuki Haruna (Aileen), Yuma Ishigaki (Geki Jumonji – Gavan)

Trailer

 

 

Gostou da crítica? Então compartilhe com seus amigos e não deixe de se inscrever em nosso canal do YouTube, curtir nossa página no Facebook, seguir a gente no Twitter. E, claro, deixar aquele joinha e comentar.

Aproveite também pra ler outras das nossas críticas.

 

Compartilhe: