Le|Pop
ADONIRAN-BANNER-LEPOP

ADONIRAN – MEU NOME É JOÃO RUBINATO, DE PEDRO SERRANO, CHEGA AS PLATAFORMAS DIGITAIS

DOCUMENTÁRIO SOBRE UM DOS GRANDES ÍCONES DA MUSICA BRASILEIRA ESTARÁ DISPONÍVEL A PARTIR DO DIA 23 DE ABRIL NO NOW, VIVO PLAY E OI PLAY

ADONIRAN-POSTER-LEPOP

O documentário ADONIRAN – MEU NOME É JOÃO RUBINATO, de Pedro Serrano, acompanha vida e a obra de Adoniran Barbosa (1910-1982), o maior nome do samba paulista, autor de sucessos como “Trem das Onze” e “Saudosa Maloca”. O longa que foi lançado nos cinemas em janeiro desse ano chega agora às plataformas digitais, e poderá ser visto em casa através do NOW, Vivo Play e Oi Play.

O filme ADONIRAN – MEU NOME É JOÃO RUBINATO foi construído por meio do acervo pessoal do artista, imagens de arquivo raras e depoimentos de amigos e familiares, que levam o público a descobrir um personagem multifacetado, que retratou a sua São Paulo em canções e personagens de rádio. Tendo a cidade como coadjuvante, o documentário traça um paralelo entre a metrópole de hoje e aquela vivida por Adoniran. Numa jornada por seu universo criativo, cheio de controvérsias alimentadas por ele mesmo, revela-se, por trás da figura pitoresca e de fala engraçada, um artista profundamente sensível às mazelas do povo.  

As músicas de Adoniran estão no imaginário e na memória de todos os brasileiros, são crônicas perfeitas da realidade do povo e muitas delas retratam a transformação da São Paulo provinciana numa megalópole ao longo do século XX. 

ADONIRAN-IMAGEM-2-LEPOP

ADONIRAN – MEU NOME É JOÃO RUBINATO contou com a ajuda de todos os familiares e amigos vivos do cantor para poder ser realizado e com uma extensa pesquisa de imagens de arquivo. Mesmo com a dificuldade de acesso aos arquivos da Cinemateca Brasileira, a equipe de produção conseguiu imagens raras de filmes em que Adoniran atuou nos anos 30, 40 e 50. Além disso, a equipe contou com o acervo pessoal do artista, que continha roteiros de rádio dos programas que ele fazia na década de 50, fotos, objetos pessoais e um material muito pitoresco da música “Figlio Unico”, a versão de enorme sucesso do “Trem das Onze” na Itália. 

Por fim, com auxílio do Conjunto João Rubinato, foi possível colocar no filme gravações raras feitas por ele no começo de carreira e o trabalho deles “Adoniran em Partitura”, que traz músicas inéditas encontradas pelo conjunto.

A obra vai além da figura do grande músico Adoniran Barbosa, é um filme sobre a pessoa Adoniran, o homem por trás do músico e poeta, e não fala apenas sobre seu papel no cenário musical. Intencionalmente, o diretor faz aqui um retrato humano e verdadeiro, que envolve todas as contradições inerentes a uma pessoa. Por mais que o espectador possa querer ver um filme sobre a conhecida figura divertida de Adoniran Barbosa, encontrará também nesse filme a história de João Rubinato, um poeta sensível e batalhador, para quem nem tudo era apenas brincadeira.


SINOPSE:

Adoniran Barbosa, autor de sucessos como “Trem das Onze” e “Saudosa Maloca”, carrega o título de maior sambista paulista de todos os tempos. A cidade de São Paulo era a personagem principal de suas canções e radionovelas. Através de imagens de arquivos raras e nunca vistas antes, o compositor e cantor paulistano, que faleceu em 1982, é redescoberto pelo público.

ADONIRAN-IMAGEM-1-LEPOP

FICHA TÉCNICA

ADONIRAN – MEU NOME É JOÃO RUBINATO

Direção e Roteiro: Pedro Serrano
Produção: Cao Quintas, Cassio Pardini, Pedro Serrano, Frederico Lapenda
Pesquisa: Pedro Serrano e Christian Grinstein
Fotografia: David Rossetto e Pedro Serrano
Montagem: Christian Grinstein, Gabriel Peixoto, Pedro Serrano
Desenho de Som: Danilo Chen
Música Original: Arthur Decloedt
Trilha Sonora: Rafael Benvenuti
Produção executiva: Jacqueline Manzini
Produtora: Latina Estúdio e Nation Filmes
Co-produção: Canal Brasil
Distribuição: Pandora Filmes
País: Brasil
Ano: 2018
Duração: 92 min.
Classificação: Livre.


SOBRE A PANDORA FILMES

A Pandora é uma distribuidora de filmes independentes que há 30 anos busca ampliar os horizontes da distribuição de filmes no Brasil revelando nomes outrora desconhecidos no país, como Krzysztof Kieślowski, Theo Angelopoulos e Wong Kar-Wai, e relançando clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Federico Fellini, Ingmar Bergman e Billy Wilder. Sempre acompanhando as novas tendências do cinema mundial, os lançamentos recentes incluem “O Apartamento”, de Asghar Farhadi, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro; e os vencedores da Palma de Ouro de Cannes: “The Square – A Arte da Discórdia”, de Ruben Östlund e “Parasita”, de Bong Joon Ho, obra que também ganhou quatro estatuetas no Oscar 2020 (incluindo Melhor Filme, Melhor Roteiro Original, Melhor Direção e Melhor Filme Internacional).   

Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora atua com o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos, como Ruy Guerra, Edgard Navarro, Sérgio Bianchi, Beto Brant, Fernando Meirelles, Gustavo Galvão, Armando Praça, Helena Ignez, Tata Amaral, Anna Muylaert, Petra Costa, Pedro Serrano e Gabriela Amaral Almeida.


(Texto e Imagens: Divulgação)

DIAMOND FILMS DIVULGA PÔSTER DE ‘MIDWAY - BATALHA EM ALTO MAR’ 2

E aí, curtiu? Então compartilhe com geral e mostre o LEPOP pra mais gente.

Se você é novo(a) por aqui, aproveite pra conhecer mais do LEPOP:
Gosta de Contos e Literatura? Então conheça o CRONICANDO
Gosta de Games? Então dê uma conferida no LEPOPGAMES e no QUICK MATCH
Gosta de Podcast? Então ouça o LEPOPCAST.
Gosta de Action Figures? Então acompanhe o LEPOP ACTION REVIEW.

Se depois de tudo isso você viu que vale a pena acompanhar o nosso trabalho, se inscreve lá no nosso canal do YouTube, dá uma curtida na nossa página no Facebook, segue a gente no Instagram e no Twitter. Assim você fica por dentro de todas as novidades daqui do LEPOP.  E pra não perder nenhuma notificação você pode entrar no nosso canal no Telegram. 4 


Nicolas Barreto Maia

Formado em Educação Física, apaixonado por esportes e games, me aventurando no universo das séries e do cinema.