Le|Pop
GOD OF WAR | ANÁLISE 1

GOD OF WAR | ANÁLISE

GOD OF WAR – ANÁLISE | LEPOPGAMES

LEPOPGAMES no ar! Hoje trazemos até vocês a análise de um dos games mais esperados, a sequencia da história do homem que virou deus, do guerreiro que enfrentou os deuses do Olimpo e agora busca um novo recomeço, estamos falando de Kratos, melhor dizendo God of War.

O game surgiu em 22 de março de 2005 foi o primeiro jogo da série e o terceiro cronologicamente, trouxe como personagem principal Kratos que ao se ver perto de ser morto, pede ao deus da guerra Ares que o salve. O preço pago por isso passa a ser caro demais e motiva o espartano a buscar vingança a todo custo. Os games posteriores trazem a vingança como o centro de tudo, e a guerra entre homem e deuses é levada as ultimas consequências.

God of War II foi lançado em 13 de março de 2007 e seu sucessor God of War III  lançado em  16 de março de 2010, ambos os games são essenciais para que você possa entender a trama e a motivação do personagem, os outros títulos lançados mais tarde acrescentam mais alguns detalhes para história, por tanto são indicados para o gamer que quer se aprofundar mais e conhecer melhor a história.

No mais novo título para o console da Sony, temos a volta de Kratos já mais velho acompanhado de seu filho Atreus que vão lutar juntos para cumprir um ultimo pedido da falecida Faye . O jogo trás novas mecânicas de combate, gráficos mais bonitos e uma história muito bem trabalhada, em resumo na nossa humilde opinião, isso trouxe um novo fôlego para o game, o que o torna insuperável. Muitas perguntas devem ser respondidas no decorrer da história, já outras… bem, vamos aguardar se nesse meio tempo aparece mais alguma novidade.

GOD OF WAR | ANÁLISE 3

Ficha Técnica:

Título: God of War
Lançamento:20/04/2018
Platarforma:PlayStation 4
Desenvolvedora: Santa Monica Studio
Distribuidora: Sony Interactive Entertainment

GOD OF WAR | ANÁLISE 4
Kratos não tá com muita paciência, fica ligeiro!

God of War

O jogo foi lançado em 20 de abril de 2018 para o PlayStation 4.  God of War é a sequência dos eventos ocorridos em God of War III. O título é um recomeço para a franquia e leva a série para o mundo da mitologia nórdica. Kratos retorna como o protagonista e agora tem ao seu lado um filho chamado Atreus, o cara agora atua como um mentor e protetor de seu filho e aparentemente parece dominar a raiva que o impulsionou por muitos anos.

Descrita como uma “reimaginação” para a franquia, a jogabilidade foi completamente reconstruída, com uma grande mudança sendo que Kratos não usa mais suas lâminas duplas (até certo momento do jogo) como armas principais, ao invés disso, ele usa o Machado Leviatã uma arma mágica que pertenceu a sua esposa. Outra mudança notável é a câmera; o jogo usa um sistema de câmera livre sobre o ombro em oposição à câmera fixa vista nos títulos anteriores. Existem muitos elementos de RPG e o filho de Kratos, Atreus, pode fornecer assistência durante as batalhas.

GOD OF WAR | ANÁLISE 5

História

A história do novo game é bem simples: nesse novo cenário, Kratos vive com Atreus e deve realizar um desejo de Faye, a mãe do garoto: atirar as cinzas dela do cume da montanha mais alta do local. A jornada até lá, no entanto, reserva um monte de surpresas.

Conforme avançam rumo ao objetivo, Kratos e Atreus encontram aliados que começam a dar o sabor inédito da franquia. Um bom exemplo disso são os anões Brok e Sindri que são os ferreiros das armas e dos equipamentos que nossos guerreiros portam. O restante da história, bom é melhor jogar e conhecer. Sem spoilers, ok?

GOD OF WAR | ANÁLISE 6

O Jogo

Durante a jornada, os dois viajantes, inseridos num mundo devidamente mapeado, podem embarcar em tarefas secundárias e se acabar em inúmeros colecionáveis, essa tarefa dura em torno  de 40 a 50 horas a quem quiser alçar os 100%. God of War engloba os principais alicerces de um RPG dentro de sua fórmula, no primeiro momento isso parece estranho, mas depois faz todo o sentido e deixa o game bem interessante.

Um outro ponto que o game se destaca em relação aos seus antecessores são os ângulos de câmera, a câmera se aproximou de Kratos, que se agigantou mais ainda na tela, além de ser livremente controlada por você, e um detalhe o game todo foi feito em tomada única.  Temos boas referências de jogos que possuem um esquema de câmeras bem parecido como por exemplo: Uncharted, The Last of UsDark Souls  entre outros.

GOD OF WAR | ANÁLISE 7
Ricardo Juarez – Dublador de Kratos aqui no Brasil.

Dublando Kratos

A dublagem em ambos as versões (português ou inglês) ficaram excelentes, na versão em inglês houve uma troca de dubladores, o que não agradou muito alguns fãs de Kratos, a voz de Terrence Carson foi substituída pela de Christopher Judge.

Já a dublagem br na voz de Ricardo Juarez em alguns momentos fica baixa e quase não dá para escutar o que Kratos fala, nesse ponto acredito que prejudica quem quer entender a história. Tirando isso o restante está espetacular. É difícil ver jogos com a dublagem br ficarem ruins, mas não podemos nos esquecer de Mortal Kombat X

GOD OF WAR | ANÁLISE 8

Kratos

O espartano parece estar mais controlado, me parece querer dar o exemplo ao filho. Aqui encontramos um Kratos mais envelhecido, mais contido e disposto a não cometer os erros do passado. Até mesmo nas batalhas o personagem está diferente, a brutalidade vista anteriormente está mais contida, apesar disso ainda temos cenas que nos deixam boquiabertos.

Para resumir, Kratos se controla mais, procura dar o exemplo ao filho, treina o garoto sem passar a mão na cabeça, aponta suas falhas, corrigi, educa, enfim o espartano está bem mais humano e mostra ser um grande pai/mentor.

GOD OF WAR | ANÁLISE 9

Um Mundo Vazio

É realmente muito estranho andar por Midgard entre outros reinos e não encontrar civilização, durante as andanças de Kratos e Atreus, não encontramos nada além de um vazio, um mundo habitado somente por animais, um ou outro humano, elfo e só. Nos poucos humanos que aparecem, em seus diálogos podemos ter uma pequena pista de que tudo isso talvez seja proposital, os espíritos encontrados em uma determinada quest também dão algumas dicas do que pode ter acontecido. Proposital ou não God of War está mais silencioso do que seus antecessores.

GOD OF WAR | ANÁLISE 10

Gráficos

Os gráficos estão excelentes, seria um descaso total se fosse o contrário. Os cenários de God of War intercalam trechos montanhosos, cobertos por neve, monólitos e rochedos pitorescos, apresentam muita vida animal, os personagens que aparecem estão bem detalhados, é quase que impossível encontrar algum defeito no game.

GOD OF WAR | ANÁLISE 11

Jogando Essa Bagaça

Quem já jogou os games anteriores sabe que não há dificuldades em controlar o deus da guerra, muito menos de combinar seus ataques e arrebentar quem cruzar o caminho, em God of War por mais que tenha tido uma reformulação em tudo, controlar o personagem ainda é simples e bem tranquilo, basta o tutorial do inicio do game e pronto, dali pra frente é só alegria.

GOD OF WAR | ANÁLISE 12

Concluindo

A volta de Kratos ao lado de seu filho Atreus veio de forma épica, a repaginada na série God of War não só deu fôlego, deu mais força para a continuação de um sucesso que começou lá atrás. É obvio que muitas perguntas precisam ser respondidas, mas que isso deve vir com o tempo. Em uma entrevista recente, Cory Barlog garantiu a continuidade do game e claro as respostas devem acompanhá-los ou não, vai saber…

A verdade é que o game está excelente e compensa a cada minuto jogado, com doses de dificuldades nas batalhas, uma história de fundo que envolve o jogador, God of War sem dúvidas é um ótimo convite para perdemos totalmente a vida social!

O game já está disponível para Playstation 4.

Pontos Fortes

  • Variedade de conteúdo: Tarefas opcionais, colecionáveis entre outros.
  • O jogo se adaptou aos moldes de 2018 sem se esquecer de seu legado.
  • Kratos e Atreus funcionam muito bem durante toda a jogatina.
  • Excelentes gráficos
  • História envolvente.

Pontos fracos

  • Menos visceral que os anteriores.

veredito - It: A Coisa - lepop

Não deixe de acompanhar os próximos vídeos do LEPOPGAMES aqui no LEPOP.

Gostou? Então compartilhe com seus amigos e não deixe de se inscrever em nosso canal do YouTube, curtir nossa página no Facebook, seguir a gente no Instagram, no Twitter. E, claro, deixar aquele joinha e comentar.

Até o próximo LEPOPGAMES.


Carlo Barbagalo

Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e Educação física, gosta de musculação e artes marciais. Atualmente está focado em seu desenvolvimento pessoal e nas horas vagas coleciona figuras de ação de tokusatsus, curte games, cinema e séries.