Le|Pop

GUERREIRAS MÁGICAS DE RAYEARTH | RELEMBRANDO

Esse anime não tem relação com a memorável Rede Manchete, mas mesmo assim é daqueles que nos leva diretamente aos tempos de infância, para quem não sabe, o Sbt também exibiu alguns animes que marcaram época, quem não lembra das próprias Guerreiras Mágicas, do Fly, Dragon ball ? Ou de acordar aos Sábados de manhã, para acompanhar mais um episódio de Street Fighter II no canal?

Infelizmente o canal de Silvio Santos não deu tanta importância ao anime das guerreiras que mudava muito de horário, somente a partir de 1997 que o anime adquiriu um horário “fixo” na programação da emissora, quem licenciou a marca e comercializou produtos relacionados aqui no Brasil antes de 1997 ficou no preju.

CLAMP

Antes de mais nada é interessante saber a respeito da CLAMP, grupo que deu origem ao anime das Guerreiras, incluindo Sakura cardcaptor. A CLAMP é um grupo de mangakás originário da região de Kansai, no Japão, formado por quatro mulheres: Nanase Ohkawa, Mokona, Tsubaki Nekoi e Satsuki Igarashi.

Contando inicialmente com onze integrantes, o grupo reduziu seu tamanho para sete em 1990 e passou a adotar o nome CLAMP, que segundo elas significa “uma pilha de batatas”. Durante a produção de RG Veda, saíram mais pessoas, restando apenas quatro integrantes.

Vários de seus trabalhos originaram animes, como Sakura Cardcaptor (mangá ganhador do Seiun Award de 2001), Chobits, Guerreiras Mágicas de Rayearth, xxxHOLiC, Tsubasa Reservoir Chronicle e Angelic Layer, obtendo um grande sucesso internacional.

GUERREIRAS MÁGICAS DE REYEARTH

O anime Guerreiras Mágicas de Rayearth foi o primeiro trabalho do grupo que chegou ao Brasil, contou com 49 episódios, OVAs em 3 partes que recebeu o nome de Wings Of Hope.

A história…

Hikaru, Umi e Fuu (que no Brasil receberam outros nomes, Lucy, Marine e Anne) são três estudantes que nunca haviam se conhecido antes na vida, que durante uma excursão escolar à Torre de Tóquio , são transportadas por uma luz muito forte para o mundo de Zephir.

Elas são recepcionadas pelo mago Guru Clef, que tem a aparência muito jovem, mas na verdade possuí 745 anos! As garotas descobrem que foram chamadas naquele lugar pela Princesa Esmeralda, que está presa nas mãos do feiticeiro Zagard. Por conta disso, a hegemonia de Zephir se foi e o mundo começou a desmoronar, literalmente falando. As meninas são a única esperança, precisando se transformar nas Guerreiras Mágicas de uma lenda e assim despertar os chamados Mashins (que são gênios na versão brasileira) e com a ajuda deles libertar a princesa do seu cárcere.

Como foi no Brasil?

Como já havíamos falado anteriormente, a série foi muito mal aproveitada pelo SBT que chegou a exibir alguns episódios as 06h30 da manhã de sábado. Por isso, o anime ficou muito pouco popular na época e os produtos da série encalharam nas prateleiras, dando um pu*%$ prejuízo para as empresas que pagaram por licenças da marca. Entre as inúmeras quinquilharias da série, tínhamos peças de cama, mesa e banho, cards de luxo, produtos para aniversário e armaduras de plástico iguaizinhas as da TV. Isso sem contar com as bonecas.

Da esquerda para a direita: Lucy, Anne, Marine e Nova.

Curiosidades

A dublagem foi realizada pelo estúdio Gota Mágica em São Paulo, com direção de Gilberto Baroli. Os nome em português foram alvos de muitas reclamações na época, inicialmente Gilberto Baroli queria usar os nomes em japonês, mas lhe foi negado por parte da distribuidora. Primeiramente ficou decidido seguir o padrão usado na Itália, sendo, Hikaru chamada de Lúcia, Umi de Marina e Fuu seria Anêmona, mas optaram por usar variantes em inglês. 

As musicas da série não foram adaptadas do original, mas criadas do zero visando a criação de um CD ( a primeira abertura cantada pela Larissa Tassi). O responsável pela criação das músicas foi Mário Lúcio de Freitas, que criou também o arranjo de todas as músicas dos animes que foram dublados na Gota Mágica. O objetivo foi alcançado e a Sony lançou um CD com oito faixas, tinha uma arte bem bacana no encarte, mas não vendeu muito.

As músicas do CD, são:
01 –  Guerreiras Mágicas 
02 –  Poderes Mágicos 
03 –  Exterminador de Sonhos 
04 –  Vento, Fogo e Mar 
05 –  Amigas Guerreiras 
06 –  Anne 
07 –  Lucy 
08 –  Marine

O anime só ganhou um cuidado diferenciado em 1997 quando passou a ser exibido no programa da Eliana de segunda a sexta às oito da manhã. Todos os episódios foram exibidos dando espaço para rolar até umas reprises.

Guerreiras Mágicas de Rayearth (Magic Knight Rayearth) - OVA 01 (Legendado e Completo)

O mangá apareceu por aqui em 2001, foi lançado pela JBC. Entre o final de 2013 e o início de 2014, a editora fez uma republicação seguindo o formato japonês, algo bem diferente do que foi a versão anterior, a republicação veio com páginas coloridas, histórias extras e por aí vai.

Bom galera vamos ficando por aqui, se você tem um anime que nunca saiu da cabeça, comenta aí e até a próxima!

E aí, curtiu? Então compartilhe com geral e mostre o LEPOP pra mais gente.

Acompanhe mais do LEPOP:
Gosta de Contos e Literatura? Então conheça o CRONICANDO
Gosta de Games? Então dê uma conferida no LEPOPGAMES e no QUICK MATCH
Gosta de Podcast? Então ouça o LEPOPCAST.
Gosta de Action Figures? Então acompanhe o LEPOP ACTION REVIEW.

E aproveite pra se inscrever em nosso canal do YouTube, curtir nossa página no Facebook, seguir a gente no Instagram, no Twitter. Assim você fica por dentro de todas as novidades.


Carlo Barbagalo

Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e Educação física, gosta de musculação e artes marciais. Atualmente está focado em seu desenvolvimento pessoal e nas horas vagas coleciona figuras de ação de tokusatsus, curte games, cinema e séries.